7 coisas que eu quero que as pessoas entendam sobre o TDAH

Não muito tempo atrás, fui diagnosticado com TDAH – transtorno de déficit de atenção e hiperatividade. Não vou mentir, eu estava cético. Quando pensei em TDAH, imaginei uma criança agindo como se estivesse em um alto consumo permanente de açúcar.

Mas aí comecei a ler mais sobre isso, conversando com meu médico, conversando com outras pessoas. E adivinha?

Eu estava tão errado. Mas muitas pessoas também.

Honestamente, tem uma má reputação. Então, aqui estão sete coisas que eu realmente gostaria que as pessoas soubessem sobre isso. E, eu prometo a você, eu não sou o único.

1. Minhas funções executivas literalmente não funcionam

Como todos sabemos, o cérebro é muito complexo, assim como distúrbios neurológicos como o TDAH. Em pessoas com TDAH, os grupos de funções executivas costumam ser prejudicados ou apenas funcionam de maneira diferente.

Não temos um déficit de atenção – simplesmente não conseguimos regulá-la.

O único déficit que temos é a dopamina (o neurotransmissor do hormônio da felicidade). Portanto, embora eu possa tentar encontrar maneiras de lidar com isso, não é apenas uma mentalidade, é uma coisa neurológica.

Quando digo que não posso começar uma tarefa, quero dizer que não posso, literalmente.

Quando eu hiperfoco em algo enquanto deveria estar fazendo outra coisa, literalmente não consigo evitar. Meu cérebro não me deixa apenas desviar minha atenção, eu gostaria que sim, mas meus neurônios não estão a bordo.

Honestamente, transtorno das funções executivas do déficit de dopamina, seria um nome muito mais apropriado.

2. Nem tudo está em movimento

Sim, existe um componente hiperativo (está no nome, afinal), mas para alguns – como eu – a hiperatividade geralmente se apresenta para dentro.

É como mil abelhas zumbindo na minha cabeça o tempo todo. Posso parecer quieto e pensativo, mas na minha cabeça é uma festa, e tentar navegar no meu caminho por entre as abelhas é exaustivo.

Muitas pessoas com TDAH tendem a ficar inquietas, mas mesmo isso pode não ser óbvio.

Estou brincando com meus anéis e cutucando minhas unhas porque estou tendo uma onda de dopamina?

Porque estou ansioso? Porque estou entediado? Porque o zumbido na minha cabeça é muito alto?

Seu palpite é tão bom quanto o meu.

3. É uma desordem de contradições

Alguns dias é como se a narcolepsia e a insônia tivessem um filho; como se o tédio e a opressão decidissem se tornar melhores amigos; como se facilmente distraído e hiperfocado fossem a mesma coisa com um nome diferente.

Se isso parece impossível, confuso e exaustivo para você, bem, imagine como é para nós.

Para a maioria das pessoas, a cafeína à noite os mantém acordados bem depois da meia-noite. Para mim? É tão calmante quanto o chá de ervas para os outros.

Um briquedo com botão giratório de agitação serve para acalmá-lo? Deixe-me dizer-lhe, há poucas coisas que me deixam tão perturbado.

O TDAH está cheio de coisas que parecem, e geralmente são, contradições. Então, pode ser fácil para as pessoas descartar os sintomas e deixar pra lá como seu eu fosse burro.

É exaustivo, a imprevisibilidade e as contradições; confie em mim, eu saberia. Mas é ainda mais cansativo quando, além de navegar por tudo, não nos interessamos em nada.

4. Às vezes eu literalmente não consigo manter um pensamento para mim

Estou ouvindo, prometo, mas vou perder o controle se não disser o que estou pensando. Para você, pode parecer que estou apenas cuspindo o primeiro pensamento aleatório que vem à minha cabeça, mas eu prometo a você, tenho lutado contra o desejo de dizê-lo nas últimas mil frases que você disse.

Você nem mesmo precisa responder a isso – eu só preciso dizer. Eu preciso dessa liberação.

5. “Apenas concentre-se” é o equivalente a “acalme-se”

É tão fácil? Por que ninguém nunca me disse isso?! Estou brincando. Isto. Nunca. Se o comando funcionasse, não existiria transtornos.

6. É difícil

Às vezes é mesmo. Muitas vezes, na verdade. Eu consegui muitas coisas das quais me orgulho, e muitas pessoas provavelmente não têm ideia de que estou zangado com meus neurônios diariamente. Mas eu sou.

Preciso encontrar pequenas habilidades e técnicas para me ajudar a cumprir tarefas que, para pessoas com neurônios funcionais, podem não parecer grande coisa.

Eu uso um milhão de notas adesivas porque, a menos que eu possa ver visualmente, elas estão fora da vista, fora da mente e simplesmente me esqueço.

Não aguento muita pressão, mas sem ela também não consigo funcionar. Estar sozinho em uma sala silenciosa torna o zumbido na minha cabeça mais alto, mas as multidões podem facilmente me esgotar.

É exaustivo e desafiador, e muitas vezes, desejo e oro para ter bastante dopamina para me manter bem. Mas aqui estamos.

7. Nem tudo é ruim

Claro, há muitas coisas desafiadoras. Mas você sabe o que? Todos nós temos “coisas”, sejam elas quais forem. Meu TDAH também me permite ser mais criativo.

Quando fico hiperfocado em algo aleatório, nunca farei isso pela metade. Vou pegar um novo hobby e mergulhar totalmente, e sim, posso superar isso em um ou dois meses, mas é melhor você acreditar que nesse tempo eu investi o equivalente a um ano no tempo das pessoas que possuem neurônios normais.

Eu posso realizar várias tarefas bem porque há tanta coisa acontecendo em meu cérebro o tempo todo, realmente não é grande coisa.

Vou ficar obcecado em saber tudo sobre um tópico aleatório de repente, então sou um ótimo companheiro de equipe para noites de curiosidades.

Eu não queria que você lesse essas sete coisas para obter sua piedade, seu ‘oh querido, sua vida parece tão difícil’? Não, eu não quero.

Eu queria que você lesse porque brigar com meu próprio cérebro é difícil o suficiente, e eu não quero ter que racionalizar e me explicar para as pessoas constantemente!

Absolutamente. Todos nós temos “coisas”. E eu tenho TDAH.

Você sente as mesmas coisas que eu, algo diferente? Conta pra mim nos comentários.

Um apoioando o outro fica mais fácil!

*DA REDAÇÃO HP. VIA TC


VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA? O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS






Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!