Por Rodrigo Bandeira

 

A acupuntura é uma terapia milenar originária da China, que consiste na aplicação praticamente indolor de agulhas finas em pontos específicos do corpo, como forma de equilibrar o fluxo energético. O desequilíbrio deste fluxo energético é visto como o primeiro estágio da doença, que pode não ter se manifestado fisicamente ainda.

Segundo os fundamentos da acupuntura, quando a energia está em desequilíbrio, tanto no corpo como na mente, podem aparecer as doenças. A medicina chinesa utiliza a acupuntura como uma maneira de detectar e reverter esses desequilíbrios energéticos, agindo também preventivamente.

Podemos até estar familiarizados com esses pressupostos da acupuntura, uma vez que a prática se disseminou pelo mundo e hoje é uma das formas mais conhecidas de medicina não convencional. Para os leigos, entretanto, é difícil entender como meras agulhinhas sobre a pele têm um poder tão grande de agir sobre o nosso equilíbrio; por isso muitos ainda vêm com descrença o que a ciência já comprovou ser efetivo.

Magaly Gobatto, uma senhora de 73 anos de idade, tinha muitas dores nos joelhos, devido a artrose e excesso de peso. Ficou praticamente acamada por meses, à base de analgésicos, até tentar a acupuntura para se tratar. Em poucas sessões, sentiu redução da dor e voltou a andar. Também começou a perder peso com a prática, o que a ajudou a recuperar seu estilo de vida ativo do passado. Há 4 anos ela se trata desta forma. Seus resultados foram tão expressivos, que toda a família dela se rendeu às agulhas e hoje tem mais qualidade de vida.

Luís, de 12 anos, é portador de anemia falciforme. Uma alteração genética que acomete as células do sangue e, entre seus sintomas, leva à fadiga, dores generalizadas e apatia. As medicações não eram suficientes para amenizar seus sintomas, então ele foi orientado a fazer acupuntura. Em algumas sessões, seu desconforto e dores praticamente desapareceram. Ele permanece fazendo sessões semanalmente para controlar os sintomas da doença.

Podemos constatar em inúmeros casos, resultados incríveis como os da dona Magaly e do menino Luís, o que leva muitos a se perguntam “qual é a “mágica” por trás dessa prática?

Na verdade não há mágica. Por muito tempo, acreditou-se que o mecanismo de ação da acupuntura fosse apenas energético, por meio da concepção dos canais de energia. Com a difusão da acupuntura no Ocidente, muitos pesquisadores começaram a questionar esse princípio, o que impulsionou o investimento científico na área.

Nas últimas décadas, evidenciou-se a relação entre a acupuntura e o sistema nervoso central e periférico, assim como com diversos tipos de neurotransmissores. Descobriu-se que a inserção das agulhas estimula as terminações nervosas existentes na pele e nos outros tecidos, enviando mensagens ao cérebro que desencadeiam diferentes efeitos no corpo, como ação analgésica ou anti-inflamatória, por exemplo.

Chiang e Cols, em 1973, concluíram que a ação da acupuntura acontece por meio dos nervos, ao constatarem que o estímulo das agulhas não surtia efeito quando aplicado em área anestesiada. Chan, 1984, evidenciou que muitos dos pontos de acupuntura correspondem aos locais de penetração das fibras nervosas na fáscia muscular, 309 pontos dos quais localizados sobre terminações nervosas e 286 sobre os principais vasos sanguíneos. Além disso, alguns pontos da acupuntura correspondem aos “pontos gatilho”, que se localizam na musculatura, são sensíveis ao toque e condicionam o surgimento de sintomas à distância, como dores de cabeça, por exemplo. É tudo questão de ciência, não de mágica.

Indicações

A acupuntura é uma técnica que pode ser usada para reforçar o sistema imunológico e para o tratamento de diversas condições e doenças:

Problemas bucais – gengivite ou faringite; dor após extração de dente;

Doenças respiratórias – sinusite, rinite, resfriado, asma e bronquite;

Doenças oftalmológicas – conjuntivite, catarata ou miopia em crianças;

Problemas neurológicos – dores de cabeça e enxaqueca;

Problemas gastrointestinais – úlceras, constipação ou diarreia;

Problemas ortopédicos – dor ciática, lombalgia, artrite reumatoide;

Distúrbios de sono 

Além destes problemas, a acupuntura pode também ser utilizada no tratamento de transtorno de ansiedade, excesso de estresse e depressão, entre outros.

Pessoas em qualquer faixa etária, inclusive gestantes, podem fazer acupuntura, para tratar doenças e sintomas ou como forma preventiva, para ter maior equilíbrio físico e mental. Animais também se beneficiam da acupuntura e costumam responder muito bem ao tratamento, na maior parte das vezes, sem nem se incomodarem com as agulhinhas.

Tipos de Acupuntura

Acupuntura auricular

A acupuntura auricular, também conhecida como auriculoterapia, pode ser usada para tratar dores, doenças físicas ou emocionais. Consiste em uma técnica que pode ser realizada com agulhas, sementes de mostarda ou pequenas esferas, que são colocadas em determinados pontos da orelha.

Acupuntura estética

Por meio da aplicação de agulhas em determinados pontos do corpo, visa melhorar a circulação, promover o crescimento das células de sustentação, combater a gordura localizada e ajudar a drenar os líquidos em excesso.

Acupuntura para emagrecer

Atua para promover a eliminação de toxinas, líquidos em excesso e gorduras localizadas. Como muitas vezes o excesso de peso é uma consequência de problemas psicológicos (como ansiedade e depressão), nos quais a comida é vista como um refúgio ou uma válvula de escape, e a acupuntura também atua para trazer maior equilíbrio emocional, a redução de peso acontece naturalmente.

Quer tentar a acupuntura? Então procure por um profissional habilitado e competente, que atue de acordo com as normas da Anvisa de utilizar apenas material descartável, e comprove seus benefícios!

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Rodrigo Bandeira
Terapeuta pós graduado em acupuntura, professor e atleta de artes marciais Mestre Reiki. Campeão Mundial de Hapkido, com títulos no jiujitsu e no Judô. Fala sobre terapias, artes marciais e bem estar.