Como lidar com um parceiro que é um “filhinho da mamãe”:

Ser casado com o filhinho da mamãe nem sempre é uma coisa ruim. Um homem amoroso com sua mãe não é, necessariamente, um filhinho da mamãe de uma forma negativa.

Na verdade, a pesquisa mostrou que meninos e homens que têm relacionamentos fortes com suas mães são mentalmente mais saudáveis, mais empáticos e têm um relacionamento melhor com as mulheres.

Um homem que parece não ter uma ligação saudável com sua mãe, entretanto, pode ser um problema maior. Principalmente se ele se deixar atingir emocionalmente com as falas dela, e não conseguir funcionar bem sem a presença dela.

Problemas de limites, dependência e emaranhamento podem ser prejudiciais para um relacionamento ou casamento. É importante ser capaz de distinguir entre afetos normais e não saudáveis ​​e aprender como estabelecer limites no relacionamento mãe e filho/adulto.

O que é um filhinho da mamãe?

O termo “filhinho da mamãe” é frequentemente usado como gíria para descrever um homem que sofre uma dependência doentia em relação a sua mãe até a idade adulta, quando se espera que ele seja independente e autossuficiente.

O termo foi usado pela primeira vez no início de 1900 e seu uso popular está enraizado no trabalho de teóricos e pesquisadores do desenvolvimento infantil, como Sigmund Freud e Benjamin Spock.

No passado, psicólogos e especialistas em crianças muitas vezes acreditavam que o calor e a frieza maternos costumavam estar ligados a problemas psicológicos nas crianças, especialmente nos meninos.

Hoje, os especialistas reconhecem que o apego saudável é essencial para o bem-estar mental de meninos e homens.

Sinais

Para reconhecer os sinais de que alguém pode ser o filhinho da mamãe, é importante primeiro ser capaz de reconhecer alguns dos sinais de limites não saudáveis.

Alguns sinais de limites inadequados incluem ter que verificar com a mãe antes de tomar decisões, ter demandas de tempo irrealistas ou perturbadoras e ser financeiramente dependente da mãe.

Esses comportamentos costumam ser um sinal vermelho. Quando o enredamento persiste na idade adulta, os homens podem continuar a contar com a mãe para atender às suas necessidades práticas, financeiras, emocionais e sociais.

Os exemplos podem incluir fazer sua mãe equilibrar seu talão de cheques, limpar sua casa e fornecer dinheiro.

Os pesquisadores sugerem que essas fronteiras interparentais são importantes não apenas para o relacionamento entre os filhos e seus pais, mas também estabelecem o tom que ajuda a determinar a qualidade de outras relações familiares.

Limites Saudáveis – Sentindo-se confortável para dizer não

É preciso:

– Ser honesto sobre sentimentos e necessidades;

– Independente e autossuficiente;

Limites insalubres

– Sentindo-se incapaz de dizer não

– Dificuldade em ser honesto sobre desejos e necessidades

Co-dependência

Efeitos

Ser filhinho da mamãe pode ter alguns efeitos psicológicos potencialmente negativos. Por exemplo, a pesquisa descobriu que os meninos que não conseguem formar relacionamentos seguros e estimulantes com suas mães são mais propensos a ser agressivos quando crianças e emocionalmente distantes quando adultos. 4

Relacionamentos saudáveis ​​entre mães e filhos são importantes. Os meninos com um bom relacionamento com as mães têm maior probabilidade de se sentir seguros, confiantes e emocionalmente mais fortes.

A pesquisa também mostrou que os meninos que têm relacionamentos difíceis com suas mães correm um risco maior de delinquência durante a adolescência.

No entanto, embora as conexões saudáveis ​​sejam importantes, os problemas de limites e a dependência podem criar problemas em seus relacionamentos ou casamento.

Alguns desses efeitos negativos podem incluir ele ser excessivamente dependente de sua mãe e ignorar suas necessidades e desejos. Isso pode levar a sentimentos de ressentimento e dificuldades de comunicação.

Como lidar com problemas de limite na relação com a mãe

Se você está tendo problemas de relacionamento causados ​​pelos limites doentios de seu parceiro, há algumas coisas que você pode fazer para melhorar a situação.

Algumas coisas que você deve tentar incluem:

Estabeleça limites claros

Seu parceiro pode estar acostumado com a mãe atendendo a todas as suas necessidades e desejos, mas isso não significa que você também precise ser como a mãe dele.

É importante que você estabeleça limites e diga a ele que você não se comportará como a mãe dele.

Ele pode agir como um menino com a mãe o quanto quiser, mas quando está com você, deve agir como um adulto independente que sabe cuidar de si mesmo.

Ele pode usar a manipulação para conseguir o que quer, então você precisa ser forte quando ele a acusar de não amá-lo e não querer o que é melhor para ele.

Estudos têm mostrado que administrar os limites no casamento é importante para um relacionamento bem-sucedido, especialmente em casais em que ambos os parceiros são assalariados.

Ele provavelmente não quer dizer as coisas que diz, mas as dirá para conseguir o que deseja. Se você ceder, ele continuará a usar a manipulação para conseguir o que quer.

Mantenha o Espaço Independente

Se ele for filhinho da mamãe, não é uma boa ideia se mudar para a casa da mãe dele. Provavelmente, o relacionamento deles como mãe e filho será anterior ao seu relacionamento com ele. Ele provavelmente ficará do lado da mãe em todos os assuntos para não incomodá-la. Ele pode até procurar a mãe quando vocês dois se desentenderem.

Embora ele possa fazer essas coisas mesmo que você more fora da casa dela, a distância ajudará um pouco.

Você não quer se sentir como a terceira pessoa ao morar com seu cônjuge.

Se você estiver com problemas financeiros e os pais dele se oferecerem para ajudá-lo, pedindo para que vocês morem com eles, certifique-se de que há uma data de término em mente. Se você está fazendo isso para economizar para sua própria casa, entenda que está se arriscando a prejudicar seu casamento.

Lembre-se, entretanto, de que morar longe dos parentes por afinidade não garante um relacionamento livre de estresse com eles. Muitos casais ainda relatam sentir a mesma pressão mesmo a distancia.

Evite o confronto

Não cabe a você ir até sua sogra e pedir que ela se afaste. Se você quiser falar com alguém sobre a situação, é com seu marido que você precisa falar.

Não venha de um lugar de raiva, no entanto. Ao abordar o assunto, seja sensível e diga a ele que está incomodada e gostaria de mais um tempo a sós com ele.

Lembre-o de que você gosta da mãe dele e não se importa em ir jantar na casa dela uma vez por mês, mas ela não deve comparecer a todas as suas atividades e encontros só porque está sozinha ou tem poucos compromissos. Explique que você não a quer fora de suas vidas, mas vocês dois precisam de tempo para se conectar e crescer como casal.

Faça suas próprias escolhas

Uma coisa muito ruim é quando a sua sogra tenta fazer suas escolhas, se só assim ela se sente confortável, ela poderá querer escolher suas roupas, sua comida e até mesmo sua carreira. Se ele for incapaz de tomar essas decisões sem a contribuição dela, isso pode ser algo que você terá que tentar resolver.

Você não quer que a mãe dele tome decisões sobre as escolhas que você faz como indivíduo ou como casal. Então nunca, inclua sua sogra em suas desavenças conjugais.

Sua sogra não deve tomar parte em suas decisões pessoais sobre finanças, planos de carreira, criação de filhos ou férias, a menos que você peça diretamente a opinião dela. Mas você não deveria.

Manter uma distancia saudável quando você está em um relacionamento com um “filhinho da mamãe’ é o melhor a se fazer, ou você verá a sua vida ser controlada por ela.

*DA REDAÇÃO HP. Via VW Foto: Shestock / CreativeRM / Getty Images


VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA?

O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!