Conviver com a instabilidade emocional de alguém é como estar em uma montanha russa

A instabilidade emocional não nos permite desfrutar dos laços, e nem confiar no outro. Quando há falhas emocionais, surgem dificuldades a nível social relacionadas com comportamentos desadaptativos, com os quais procuramos reequilibrar-nos, num ambiente que nos sentimos vulneráveis.

As pessoas precisam confiar na estabilidade de nossos relacionamentos. Saber que aqueles que nos amam continuarão a fnos amar amanhã, mesmo que não estejam presentes ou apesar dos conflitos e discrepâncias.

Essa certeza é o que se chama de permanência emocional e, quando temos um déficit nesse sentido, podemos ver nossa qualidade de vida e nosso bem-estar psicológico muito diminuídos.

A instabilidade emocinal nos faz sentir inseguros, numa corda bamba constante. Gera fortes sentimentos de ansiedade, e nos incita a certos comportamentos que vão contra os nossos interesses.

Se você tiver esse problema, a raiz dele provavelmente está na história de sua vida; no entanto, a boa notícia é que hoje você pode começar a trabalhar para reforçar essa autossuficiência.

Pessoas com instabilidade emocional se sentem inseguras e têm muito medo do abandono.


O que é permanência emocional?

A ideia de permanência emocional afirma que as emoções continuam a existir quando não podem ser observadas . Isso, como veremos mais adiante, se aplica tanto aos próprios sentimentos quanto aos dos outros. Por isso, gera desconfiança nos relacionamentos e dificuldades significativas na regulação emocional.

É um conceito relacionado à permanência do objeto, um marco do desenvolvimento que é totalmente atingido por volta dos dois anos de idade. Isso se refere à capacidade do bebê de entender que a existência de objetos e pessoas independe de sua compacidade para percebê-los; sim, há um momento em que entendemos que as pessoas não deixam de existir quando saem do alcance dos nossos sentidos.

Quanto à permanência emocional, à medida que crescemos aprendemos que os sentimentos têm continuidade e que “fora da vista” não significa “insegurança”. No entanto, para que essa compreensão seja alcançada, é necessário ter cuidadores que ofereçam afeto incondicional, que sejam previsíveis e que nos permitam desenvolver essa certeza interna e permanência.

Quando isso não acontece, ou se são vividas experiências negativas e posteriores vínculos instáveis ​​(por exemplo, com parceiros amorosos), esse sentido de continuidade em relação a si mesmo e aos relacionamentos não se desenvolve, ou fica comprometido. Assim, surge uma série de dificuldades.

Sinais de instabilidade emocional

Existem alguns indícios que podem nos ajudar a identificar que uma pessoa tem problemas na hora de conjugar a permanência emocional. Os principais são os seguintes:

Problemas para regular as emoções

Pessoas com falta de permanência emocional têm dificuldade em regular suas emoções. Eles tendem a ficar emocionalmente perturbados com facilidade e acham difícil administrar conflitos. Qualquer desacordo, discussão ou mal-entendido é interpretado como catastrófico e causa grande desconforto.

Há também uma dificuldade em lembrar como se sentiu uma emoção diferente daquela que está ativa no momento. Ou seja, se a pessoa se sente triste, deprimida ou ansiosa, ela não lembra que em algum momento se sentiu alegre, calma ou feliz.

Em um nível cognitivo, ele se lembra de ter experimentado anteriormente essas emoções e pode descrevê-las, mas é como se estivesse descrevendo a experiência de outra pessoa. Para ela, existe apenas o que ela está vivenciando naquele momento.

Da mesma forma, você pode achar difícil entender que duas emoções podem coexistir ao mesmo tempo. Ou seja, alguém pode sentir raiva ou aborrecimento e ao mesmo tempo continuar amando a outra pessoa.

Dificuldades no relacionamento interpessoal

É nas relações onde as consequências são mais percebidas. E é que a pessoa tem que conviver com um forte medo do abandono em vínculos afetivos que podem ser de natureza muito diferente.

Não é possível desfrutar de relacionamentos porque seu caráter estável e constante não é confiável e, portanto, a insegurança está sempre presente. Podem surgir ciúmes e uma necessidade constante de assegurar que os laços são bons e que a outra pessoa ainda sente amor.

Essa qualidade também é um obstáculo para a confiança nos outros, despertando, por sua vez, uma intensa rejeição à ambigüidade. Ou seja, a pessoa precisa manter e gerar relacionamentos muito bem definidos . Ter dúvidas sobre a natureza dos vínculos produz um intenso sentimento de mal-estar.

Sofrimento psicológico

Tudo isso causa grande sofrimento psicológico, pois a pessoa se sente mal amada a maior parte do tempo. Estados emocionais tristes ou ansiosos freqüentemente a acompanham e é comum que ela também sofra de baixa auto-estima.

Existe até uma maior vulnerabilidade para desenvolver o transtorno de personalidade borderline , devido a esse apego inseguro e a essa construção de permanência emocional que foi truncada.

A instabilidade emocional causa problemas profundas nas relações com os outros.

Felizmente, é possível construir um sentimento de confiança e trabalhar a ideia de compromisso e abandono para melhorar o bem-estar.

Em primeiro lugar, será necessário identificar as consequências da falta de permanência emocional. A partir daí, e com o intuito de mudar crenças e interpretações, é possível aplicar estratégias de eficácia interpessoal, reforçando os pilares que sustentam nosso autoconceito.

Algumas orientações úteis a esse respeito incluem manter um diário emocional (para verificar como os humores variam), compartilhar dificuldades com os entes queridos e falar abertamente sobre eles e, acima de tudo, obter ajuda de um profissional qualificado.

No entanto, identificar a vulnerabilidade associada à impermanência emocional o ajudará a gerenciar melhor suas emoções.
*DA REDAÇÃO HP. Com informações LLM. Foto de Mohammad Faruque no Unsplash.

VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA?

O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS






Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!