Assim se descrevem, assim registraram em suas peles. Assim são conhecidos por todos os amigos. Vinhos apreciados lentamente em tardes chuvosas (nas ensolaradas, uma boa Weiss ou a tradicional Pilsen, desde que bem gelada, claro); roteiros programados cuidadosamente para viagens de um só destino (que é para aproveitar cada canto do lugar); cinema até que a luz se acenda, reverenciando todo sobrenome que participou daquela produção (ou ainda para verificar se existe ou não alguma surpresa do diretor depois que as letrinhas terminam de subir). Tempo. Liberdade. Leveza. Vidas vividas intensamente como se cada dia pudesse ser o último. A busca pelo pleno prazer.

 

Complementares ou opostos? Uma coisa é certa: Nada que pese tem espaço ali. Nem lá. “Namorar almas livres pode não ser tão simples”, dizia ele. Afinal, “rótulo bom é rótulo de vinho”, concluia.

 

Se futebol fosse de seu gosto ele seria o capitão da equipe dos solteiros. Mas ele sempre preferiu o tênis, sozinho achava que iria mais e mais longe. No esporte e na vida. Namorar sério, sério mesmo, daqueles namoros de restaurante e sofá definitivamente não era com ele. Mas um dia ele conheceu ela.

Claro que ele conheceu ela! E ela virou o mundo dele. Claro! Com ela, ele enxergou que chegava a intransigência sua exigência por ausência de qualquer regra ou “rótulo” ou “imposição social”.

 

Ela leve, ela Carpe Diem, ela gostosa de viver, bonita de acompanhar o raciocínio, passarinho, livre. Ela. Sem esforço. Apenas sendo. Acharam o caminho para saírem da solidão. Juntaram, cada um a sua, e se tornaram “um casal”.

Agora sem medo de que o tal do rótulo pudesse mudar suas essências. Foram corajosos! Mas fizeram um acordo: “ficar seria sempre uma escolha, jamais uma obrigação”. E assim se sentem livres. E, de fato, são. Gostam de fingir que o dia 12 de junho é todo dia que estão juntos fazendo algo que amam.

 

E amam se amarem assim: viajando, apreciando bons vinhos, assistindo bons filmes. Com leveza. Carpe Diem e Bon Vivant. Que dupla! Namorados, casal, cúmplices, parceiros, amigos, amantes. Tudo isso do jeito deles. Só deles.

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!