Por Holly Brown, LMFT

“Você sempre machuca aqueles que você ama”, como diz um velho ditado. E a razão disso é porque são eles que nos vêm no nosso pior, nosso lado mais estressado e irritável. Isso acontece porque sabemos que eles não são tão propensos a ficar contra nós no longo prazo. Agora, tente dar um “pití” com seu chefe, ou um cliente… Pode não haver recuperação. Mas sua esposa? Ela tem que perdoá-lo, certo?

Bom, pode parecer assim. Mas o efeito de despejar seu estresse sobre os outros pode ser cumulativo e você pode estar gradualmente gerando um dano que talvez não perceba imediatamente.

Então, o que devemos fazer? É importante ser mais pró-ativo quanto ao estresse que está sentindo e pedir ajuda. Sua parceira será muito mais amável ao escutar: “querida, você poderia por favor me ajudar nisso?” do que se você disser:”por que você nunca me ajuda?!!!”

Às vezes você pode evitar o mau humor, percebendo que uma situação será difícil para você e planejando como agir de acordo. Eventualmente, a irritabilidade nos pega de surpresa, mas lembre-se que somos todos responsáveis pelo que fazemos uma vez que nos engajamos em algo.

Isso quer dizer que talvez precisemos nos afastar quando nos sentimos à beira de um ataque de nervos. Talvez tenhamos de respirar profundamente, ou pensar que a coisa não é tão grave como aparenta ser naquele momento. Podemos precisar de uma rápida “verificação de gratidão” (percebendo que há pessoas que passam por situações muito piores, e que na verdade somos afortunados).

O fato de estar se tornando irritável com o seu parceiro não é necessariamente o sinal de uma relação não saudável. Às vezes, quando nos sentirmos seguros o suficiente para nos expressar completamente, sem filtros, isso pode ser um sinal de que estamos firmemente unidos. Estranhamente, isso pode significar que a relação é saudável.

Entretanto, ao persistir nesse padrão de comportamento de descontar tudo nos mais próximos, você pode desgastar seus relacionamentos e romper esse vínculo. A outra pessoa pode não se sentir mais segura com você. Como eu disse, o dano poderia ser sutil, mas cumulativo.

Se você descobrir que está repetidamente descontando o seu estresse e aborrecimentos sobre um ente querido, é hora de refletir:

Sua vida é organizada de uma forma que aumenta ao invés de diminui, seu estresse?

Você tem ferramentas de gerenciamento de estresse (terapia, atividade física, lazer?) à sua disposição, e os usa consistentemente?

Você tem pegado leve ou pesado consigo mesmo?

Você está realmente irritado com o seu parceiro em um nível mais profundo e está se expressando por meio de pequenas explosões, ou aparentemente são coisas separadas?

Em suma, o que em sua vida precisa mudar?

Sentir-se frequentemente chateado com as pessoas ao seu redor é um indicador de que algo está fora dos eixos e precisa ser mudado, quer dentro de você, no arranjo de sua vida, ou em seus relacionamentos. Diminuir o ritmo é sempre um bom primeiro passo.

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!