Meu parceiro não demonstra carinho. O que devo fazer?

A frieza e a falta de conexão emocional por uma das partes de um casal podem ser decorrentes de circunstâncias pessoais ou do vínculo.

Você pode sentir que seu parceiro não lhe demostra carinho, mas não sabe como lidar com isso. Saiba que você não está sozinha.

Para que um relacionamento seja bem-sucedido, não é necessário apenas que as duas pessoas se amem, mas também que esse amor seja claramente comunicado; ou melhor, percebido.

Muitas pessoas afirmam adorar seu parceiro e se sentem muito felizes e satisfeitas com seu relacionamento, e ainda assim, a outra parte pode não se sentir apoiada ou valorizada no relacionamento. Assim, se sinto que meu parceiro não me demonstra carinho, é importante que eu analise o que está acontecendo.

Na realidade, é uma situação complexa na qual muitas variáveis ​​podem influenciar. O mais comum é pensar que o amor acabou, que fizemos algo errado ou que nosso parceiro tem outra pessoa. No entanto, pode ser um problema de comunicação ou uma situação pessoal que esteja interfirindo no vínculo.

Aqui estão as principais explicações.

Existem muitas razões pelas quais alguém pode sentir que seu parceiro não demonstra afeto. Talvez você esteja sentindo falta de um contato físico maior, de um compromisso maior ou de uma atitude mais doce e empática.

Na realidade, as expectativas que cada um de nós tem, são diferentes e, portanto, nossas percepções também são diferentes. Mesmo assim, esse sentimento, provavelmente, se deve a um dos seguintes motivos.

Por trás da falta de afeto, muitas vezes há uma comunicação ineficaz.

1. Diferentes linguagens do amor

Este é um ponto-chave que devemos sempre nos perguntar antes de começarmos a pensar o pior. Cada ser humano tem uma maneira diferente de expressar afeto, e o seu jeito, nem sempre coincide com o de seu parceiro.

Há aqueles que oferecem e precisam de abraços e beijos, e outros que estão mais satisfeitos com a companhia e o tempo de qualidade compartilhado.

Para algumas pessoas, presentes são sinônimo de carinho, e para outras, são aqueles pequenos gestos e favores diários, que o parceiro faz por nós, sem que precisamos pedir.

Se eu sinto que meu parceiro não está demonstrando afeto por mim, talvez ele apenas faça isso em um idioma diferente do meu.

Assim, aprender a identificar e valorizar sua própria maneira de mostrar carinho pode ser um excelente primeiro passo.

2. Estilos de repetição e medo de ser vulnerável

A forma e o grau em que oferecemos afeto dependem muito de nossas experiências passadas, tanto com nossos pais quanto com amigos, e parceiros anteriores.

Tudo o que vivemos nos molda, mas o vínculo de apego que estabelecemos na infância e que repetimos e perpetuamos nos relacionamentos adultos é especialmente crucial.

Se o seu parceiro exibe um estilo de apego evitativo, ele provavelmente terá dificuldade em expressar afeto abertamente e pode ser retraído e frio às vezes.

Isso se deve ao medo de ser vulnerável e emocionalmente dependente de outro ser humano, mas não significa que o amor não exista.

Por outro lado, as dificuldades aumentam se você mesmo tiver um estilo de apego ansioso.

Nesse caso, é provável que você precise de confirmações constantes desse afeto e que tende a se sentir inseguro a cada pequena mudança na atitude de seu parceiro.

Assim, talvez não seja que ele não lhe demonstre afeto, mas que sua falta infantil faça você sentir que nunca é suficiente.

3. Objetivos e expectativas

Gerenciar expectativas realistas e ajustadas no casal é essencial para evitar sofrimento e frustração. Muitas vezes, quando sentimos que o outro não nos ama, é porque não deixamos claro o que cada um espera do vínculo.

Talvez um dos dois esteja mais envolvido que o outro, e esteja procurando mais comprometimento ou precise dar certos passos no relacionamento que o outro não quer dar.

Isso não significa que essa pessoa não sinta amor, mas sim que segue outro ritmo e tem uma percepção e projeção diferente do relacionamento. Assim, esclarecer objetivos individuais e colocá-los em comum é importante para evitar mal-entendidos.

4. Estresse e circunstâncias pessoais

Somos todos humanos e é inevitável que o que nos acontece em certas áreas de nossas vidas acabe afetando o resto. Assim, se estivermos passando por estresse no trabalho, problemas familiares ou dificuldades de qualquer tipo em nível pessoal, nosso relacionamento com nosso parceiro provavelmente será afetado.

Isso é especialmente verdadeiro para pessoas pouco comunicativas, que, em vez de compartilhar suas preocupações com seu parceiro romântico, optam por se isolar e se fechar.

Essa falta de diálogo pode levar o outro a pensar que essa mudança de humor se deve à falta de amor ou a um problema no relacionamento quando, certamente, não é o caso.

5. Dificuldades no casal

Não podemos ignorar o fato de que, às vezes, quando a outra pessoa não demonstra afeto é porque realmente não se sente mais assim. Freqüentemente, a rotina, as obrigações cotidianas e o passar dos anos deterioram os laços, fazem com que os membros do casal descuidem da relação e deixem de cultivá-la; assim, a chama se apaga e a cumplicidade se transforma em distanciamento emocional.

É evidente que, nesta situação, as demonstrações de afeto serão menores. Mas talvez esse seja o sinal que indica que o vínculo precisa ser retrabalhado, e não necessariamente, que deve chegar ao fim.

6. Falta de assertividade

Por fim, é possível que a falta de afeto seja resultado de um desejo não expresso de terminar o relacionamento.

Acabar com um vínculo não é fácil e algumas pessoas, por medo do conflito, por não querer prejudicar o outro ou por não encontrar o momento certo para se comunicar, optam por adotar atitudes passivo-agressivas como frieza e indiferença progressiva. Dessa forma, eles esperam que o outro perceba o que está acontecendo e termine o relacionamento para eles.

Tentar fazer o parceiro sentir como nos sentimos e o que queremos geralmente complica a convivência.

Se meu parceiro não me mostra carinho, eu tenho que assumir o comando.

Como você pode ver, os casos podem ser muito variados e as causas muito diversas. Não é possível oferecer uma única explicação válida para todas as situações. No entanto, seja qual for o motivo subjacente, é importante não deixá-lo ir.

Sentir-se não amado, desvalorizado, rejeitado ou incompreendido dentro do casal é extremamente doloroso, exaustivo e prejudicial. Portanto, é essencial estabelecer uma comunicação aberta e honesta, fazer as perguntas desconfortáveis, estar disposto a ouvir as respostas e fazer mudanças.

Isso pode acontecer modificando suas próprias atitudes, negociando e chegando a acordos ou até mesmo dissolvendo o relacionamento.

Realizar este processo não é fácil; por isso, recorrer à ajuda profissional pode ser uma excelente alternativa para analisar a situação e poder tomar as medidas adequadas.

*DA REDAÇÃO HP. Foto de Brooke Winters no Unsplash. Com informações LLM


VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA?

O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS






Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!