Em praticamente qualquer lugar que se vá, é possível saborear o fruto do despertar, aquele que é o pretexto inicial para conquista de paixões e confraternização de amigos, o elixir que inspira os grandes negócios no mundo contemporâneo: o café!

Sendo uma das mais populares bebidas do mundo, o café é o porto seguro de quem pega a estrada. Dificilmente acontecerá de numa cidade qualquer não haver uma cafeteria. O mais comum é se deparar com uma a cada esquina. O máximo que pode ocorrer é de o café ser completamente diferente do que você está habituado a tomar. E é exatamente nisso que pode estar toda a graça da coisa…

Aqui no Brasil, a preferência é pelo cafezinho forte, encorpado, pra acabar com a preguicinha matinal e dar aquela motivada pra encarar os desafios durante o dia. O tomamos em pequenas xícaras ou copinhos de vidro, com ou sem leite, com ou sem açúcar, só de manhã, ou também depois do almoço, no meio da tarde e depois do jantar, o fato é que não abrimos mão de nossas pequenas doses desse pequeno prazer diário.

Em outros países, é cultural beber de outras formas. Pense por exemplo, num filme de ação americano qualquer. Não há como não perceber pelo menos uma cena em que os tiras bebam café,ou melhor, “chafé”, em enormes copos de isopor. Isso retrata a preferência que eles têm pelo café fraco e em grandes quantidade. “Gosto não se discute, mas se lamenta” , como bem pondera o dito popular.

Piadas à parte, para os adoradores da bebida, o café dos Estados Unidos não está exatamente entre suas maiores qualidades. Por isso, selecionamos aqui os países onde é possível encontrar os cafés mais amados do mundo, em suas versões mais regionais!

França: Cafe au lait

O famoso café com leite! Feito a partir de grãos de café recém-moídos que são mergulhada em água e misturados ao leite quente. A maneira francesa tradicional de servi-lo é em taças de porcelana branca ou copos.

Grécia: Frapê

Reza a lenda que o café grego frapê foi criado em 1957, durante a Feira Internacional de Tessalónica. Diz-se que um trabalhador da feira estava tão sedento por uma bebida refrescante que atenuasse o calor da ocasião, que na falta de opções no local, resolveu improvisar! Com uma garrafinha em mãos, decidiu misturar café instantâneo com água gelada e chacoalhar! Pronto! Nasceu o frapê. Os mais tradiconais frapês têm uma espuma muito espessa na superfície, semelhante ao Chantilly e são uma opção refrescante de bebida para o verão.

A mistura tomou uma consistência agradável e espumosa, que caiu nas graças dos gregos e se disseminou depois, mundo afora.

Colômbia

A Colômbia é o maior de grãos de café arábica no mundo. Fortíssimo, o café colombiano é mais do que uma simples bebida, o amor do povo pelo café é inerente à cultura do país. Isso é algo tão marcante que em 2007, a União Europeia concedeu ao café colombiano um estatuto de denominação de origem protegida. Em 2011, a UNESCO declarou a “paisagem cultural do café” da Colômbia um patrimônio mundial.

Italia: Cappuccino

Criados em 1900, logo após a invenção das máquinas de fazer café, os cappuccinos são hoje uma das bebidas italianas mais famosas do mundo. Feito tradicionalmente a partir do café expresso de alta qualidade, o cappuccino possui uma camada de espuma de leite polvilhada com canela, cacau, ou mesmo café em pó. Na Itália, são tipicamente servidos em uma pequena xícara de porcelana branca.

Turquia

O café turco é, com o perdão do trocadilho, embebido em história e tradição. Seu método de preparo é considerado o mais antigo do mundo, remontando ao séc XV. O café turco tradicional não é filtrado e é feito muito lentamente, para ajudar a amadurecer os sabores. Quando o açúcar é adicionado, isso é feito antes de sua fervura. Depois da fervura, um terço do café é servido em xícaras e os dois terços restantes são reaquecidos. Uma vez que atingir novamente a fervura, o café restante é servido sobre a primeira parte.

Jamaica: Café da Blue Mountain

A Jamaica é um paraíso tropical que abriga além de praias cinematográficas, alguns dos mais amados cafés do mundo. O café da Blue Mountain é cultivado nas elevadas altitudes das Blue Mountains, a maior cordilheira ao longo da orla oriental do país, e é um dos mais sofisticados e caros do mundo.

Graças aos solos ricos em nutrientes e ao clima local, os grãos deste café são de altíssima qualidade. Perfumado e profundo, se apreciado como fazem os jamaicanos, num ambiente calmo e relaxante, o café fica tão inesquecível quanto as paisagens do país!

Havaí: Café de Kona

Cultivado ao lado de dois grandes vulcões no Havaí, o café de Kona é único em muitas maneiras. Os minerais vulcânicos na terra, assim com o solo altamente poroso, o tornaram uma das melhores variedades no mundo. Com condições ideais, que incluem temperaturas suaves, abundância de luz solar e chuva, na medida certa, os pés de café prosperam. Muitos estabelecimentos do país servem apenas o café, tamanho o orgulho e a procura pelo produto.

Indonésia: Café da Sumatra

Originário da Ilha de Sumatra, a ilha mais ao ocidente do país, o famoso café da Sumatra é cultivado em encostas vulcânicas, região com solo nobre e fértil, perfeito para produzir o perfil de sabor que lhe é característico. O café de Sumatra possui duas características bem peculiares: o tom azulado e seu sabor adocicado.

Cuba

Os grãos do café cubano são como de um expresso, forte e encorpado, mas o processo de preparo é diferente. Durante o processamento dos grãos, acrescenta-se açúcar, o que ajuda a produzir a espuma característica que se forma na sua superfície. Por conta disso, o café cubano é relativamente doce. Apreciado por muitos, mas não uma unanimidade entre os amantes da bebida.

Nova Zelândia: Flat White

Eis algo na Nova Zelândia que não requer doses de coragem, ou tem sabor de aventura. Por isso, se seu negócio não for se jogar de uma ponte de bugee jump, jogue-se pelo menos numa bela xícara de flat white (branco liso). Depois dos esportes radicais, a paixão nacional da Nova Zelândia é o café regional. O flat White, como foi batizado, é como um expresso com pouca quantidade de leite vaporizado, que, durante o preparo, forma uma mistura espessa e cremosa. Nessa camada de espuma são feitos desenhos de flores ou corações, que atiçam o desejo de “beber com os olhos”. A bebida foi tão bem aceita, que hoje é item obrigatório nos menus de muitas cafeterias mundo afora.

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!