Por Rick Nauert

Pesquisadores da Universidade de Ohio, nos EUA, acreditam ter desenvolvido e validado um novo método para identificar pessoas narcisistas (Narcisismo é um conceito da psicanálise, que define o indivíduo que admira exageradamente a sua própria imagem e nutre uma paixão excessiva por si mesmo. Narcisistas são pessoas egocêntricas, manipuladoras e fechadas, que tendem a se supervalorizar e a desmerecer os outros). E a beleza é que a ferramenta é apenas uma questão.

Em uma série de 11 experimentos envolvendo mais de 2.200 pessoas de todas as idades, os pesquisadores descobriram que podiam identificar com segurança pessoas narcisistas perguntando-lhes exatamente essa questão:

Até que ponto você concorda com essa afirmação: “Eu sou um narcisista”. (Nota: A palavra “narcisista” significa egoísta, focada em si mesma e vaidosa).

Os participantes classificaram-se em uma escala de um (não muito verdadeiro de mim) a sete (muito verdadeiro de mim).

Se você ficou curioso sobre o teste ou quer saber quão narcisista você é, acesse e faça o teste .

Os resultados mostraram que a resposta das pessoas a essa questão se alinhava muito de perto com várias outras medidas validadas de narcisismo, incluindo o amplamente usado Inventário de Personalidade Narcisista (NPI).

A diferença é que esta nova pesquisa – que os pesquisadores chamam de Escala de Narcisismo por Item Único (SINS) – tem uma pergunta, enquanto o NPI tem 40 perguntas para responder.

“As pessoas que estão dispostas a admitir que são mais narcisistas do que outras provavelmente são mais narcisistas”, disse Brad Bushman, co-autor do estudo e professor de comunicação e psicologia da Ohio State University.

“As pessoas que são narcisistas estão quase orgulhosas disso. Você pode perguntar a eles diretamente, porque eles não vêm o narcisismo como uma qualidade negativa – acreditam que são superiores a outras pessoas e estão bem em assumir isso publicamente. ”

Bushman conduziu o estudo com Sara Konrath, da Escola de Filantropia Familiar da Universidade de Indiana Lilly (anteriormente da Universidade de Michigan) e Brian Meier do Gettysburg College. O estudo foi publicado na revista PLOS ONE.

“Compreender o narcisismo tem muitas implicações para a sociedade, que se estendem além do impacto na vida do narcisista individual”, disse Konrath.

“Por exemplo, pessoas narcisistas têm pouca empatia, e a empatia é um dos principais motivadores do comportamento filantrópico, como doar dinheiro ou tempo para as organizações.”

“De maneira geral, o narcisismo é problemático tanto para os indivíduos quanto para a sociedade. Aqueles que pensam que já são ótimos não tentam melhorar a si mesmos”, disse Bushman.

“E o narcisismo é ruim para a sociedade porque as pessoas que só pensam em si mesmas e em seus próprios interesses são menos úteis para os outros”.

Bushman enfatizou que a ferramenta de uma pergunta (SINS) não deve ser vista como um substituto para os questionários de narcisismo mais longos (NPI, etc), pois outros instrumentos podem fornecer mais informações aos pesquisadores, como qual forma de narcisismo alguém tem.

“No entanto, nossa escala de item único pode ser útil para pesquisas longas em que os pesquisadores estão preocupados com as pessoas se cansarem ou se distraírem ao responder perguntas e possivelmente até desistirem antes que elas sejam feitas”, disse Bushman.

Ele observou que, se a pessoa leva 20 segundos para responder à pergunta única na medida do SINS, levaria 13,3 minutos para responder a 40 perguntas do NPI.

“Isso é uma grande diferença se você está fazendo um estudo em que os participantes têm que preencher vários instrumentos de pesquisa e responder a uma longa lista de outras questões”, disse ele.

Os 11 experimentos diferentes adotaram várias abordagens diferentes para determinar a validade do teste de questão única. Alguns usaram estudantes universitários de graduação, enquanto outros envolveram painéis on-line de adultos americanos.

Um experimento descobriu que o SINS estava positivamente relacionado a cada uma das sete subescalas do NPI que medem vários componentes do narcisismo (vaidade, exibicionismo, exploração, autoridade, superioridade, autossuficiência e direito).

Outro estudo descobriu que os participantes tendiam a ter pontuações semelhantes em SINS quando testados com 11 dias de intervalo.

Um experimento replicou trabalhos anteriores que mostravam que pessoas com alto índice de narcisismo eram mais propensas a se envolverem em comportamentos sexuais de risco e tinham dificuldade em manter relacionamentos românticos a longo prazo.

“As pessoas que obtiveram maior índice de narcisismo no SINS tiveram resultados positivos e negativos”, disse Bushman. Eles relataram sentimentos mais positivos, mais extroversão e marginalmente menos depressão. Mas também relataram menos afabilidade e mais raiva, vergonha, culpa e medo. Além disso, as pessoas que pontuaram alto no SINS apresentaram resultados interpessoais negativos, como relacionamentos ruins com os outros e um comportamento menos pró-social quando o ego estava ameaçado.

“A vantagem do SINS em comparação com outras medidas”, disse Bushman, “é que ele permite que os pesquisadores identifiquem os narcisistas com muita facilidade”.

“Não achamos que o SINS seja um substituto para outros inventários de narcisismo em todas as situações, mas tem sua utilidade”, disse ele.

 

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!