“Quando vires um homem bom, tente imitá-lo, quando vires um homem mau, examine a ti mesmo” Confúcio.

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 6,39-42 – Naquele tempo, Jesus contou uma parábola aos discípulos: “Pode um cego guiar outro cego? Não cairão os dois num buraco?

Um discípulo não é maior do que o mestre; todo discípulo bem formado será como o mestre.

Por que vês tu o cisco no olho do teu irmão e não percebes a trave que há no teu próprio olho?

Como podes dizer a teu irmão: ‘Irmão, deixa-me tirar o cisco do teu olho’, quando tu não vês a trave no teu próprio olho? Hipócrita! Tira primeiro a trave do teu olho e então poderás enxergar bem para tirar o cisco do olho do teu irmão”. – Palavra da salvação.

Devemos pensar sobre isso que não devemos nunca acreditar que somos melhores do que um outro ser humano, e muito menos, nos colocar como superiores apenas pelo fato de já termos avançado alguns degraus.

Para refletir

Falta-nos capacidade para conhecermos o que se passa no íntimo de outra pessoa. Qualquer juízo está sujeito a não corresponder à verdade.

Isso, conforme a gravidade, pode configurar-se como calúnia, certamente um dos maiores pecados do ser humano.

Em geral, somos compassivos e benévolos com nossos próprios erros e “carrascos” em relação aos defeitos dos outros.

Jesus nos ensina a considerar primeiro o mal que existe em nós. Então seremos mais compreensivos e mais tolerantes em relação ao próximo.

O famoso pensador chinês Confúcio dizia:

“Quando vires um homem bom, tenta imitá-lo; quando vires um homem mau, examina-te a ti mesmo”.

Quando enxergamos um defeito em nossos semelhantes não será porque ele já existe em nós?

Para rezar

Perigo é criticar pequenos defeitos alheios, sem antes corrigir os próprios erros.

Contigo aprendemos, ó Senhor, que a melhor medida é a misericórdia.

Amém.

É também importante considerar que são as muitas crianças (da primeira e da segunda infância) que sentem fortemente o efeito da fragilidade dos laços de amor e compreensão no interior das famílias.

Mesmo em situações de bem estar econômico; algumas pessoas, vivem ainda hoje, em condições ambientais fortemente marcadas pela pobreza, pela violência e pela instabilidade emocional.

A estas crianças que, por diversos motivos, sofrem com a falta de referências seguras para a vida, muitas vezes, também lhes é reduzida a possibilidade de conhecer e amar a Deus.

Para que essas crianças não se tornem adultos que subjugam outros adultos e enfraquecem outras crianças, precisamos aprender a dialogar uns com os outros, apoiando-nos na nossa função de educar; além disso, procurar tornar-nos presente e disponível para demonstrar sempre zelo e cuidados concretos: este será o primeiro e fundamental anúncio da bondade providente de Deus.

Abençoando

Traçando o sinal da cruz em você, diga:

Abençoai-me Senhor Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo, para que eu viva sempre no Teu amor e fazendo só o bem a todos.

Amém!

Traçando o sinal da cruz em seu/ua filho/a diga:

Abençoe (nome do filho/a), nosso Deus que é Pai, Filho e Espírito Santo, para que você filho/a, viva sempre no amor de Deus e faça só o bem a todos.

Amém!

*DA REDAÇÃO HP. Com informações CE Foto de Hisu lee no Unsplash


VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA? O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!