Por Jeanne Finnan

 

Nos últimos anos, aprendi a me soltar e deixar de lado as expectativas preconcebidas. Isso foi mais por autopreservação do que pelo desejo de desistir de tentar controlar tudo e todos.

Eu sempre senti que se não orquestrasse minha vida, as coisas com certeza começariam a se degringolar. Mas quando finalmente percebi que estava me acabando, larguei mão. Eu estava tão cansada de tentar manter tudo perfeito que desisti de tentar. Não foi fácil nem confortável, mas eu estava cansada e precisava de um descanso, então simplesmente desencanei.

E esperei que tudo desmoronasse ao meu redor. Mas isso não aconteceu.

Para minha surpresa, as coisas no trabalho, em casa e nos meus relacionamentos não se deterioraram e, com o tempo (e com a prática), fiquei muito mais relaxada e menos estressada. A vida tornou-se mais manejável e agradável!

Eu aprendi algumas coisas sobre mim neste processo, mas talvez mais importante, aprendi sobre meus relacionamentos. Não sentir a necessidade de sempre controlar as coisas e dar um passo para trás me deu espaço para ouvir e realmente ouvir as pessoas ao meu redor. Eu sinto como se meus relacionamentos estivessem mais equilibrados e autênticos e até me disseram que me tornei mais divertida! Eu realmente espero que sim!

Deixar de lado expectativas preconcebidas eliminou a armadilha da decepção paralisante de quando as coisas não saiam como planejado. Mas o que é realmente excitante para mim é que agora estou mais aberta e curiosa para saber o que posso aprender com planos alternativos. Sinto agora que tenho maior variedade de experiências com pessoas, lugares e coisas ao meu alcance. Meu mundo se expandiu.

Recentemente, fiz reservas online num restaurante que parecia ser ótimo. Quando cheguei com meus amigos, percebemos que não era onde gostaríamos de passar a noite. Não só ele não era suficientemente bacana, como eu erroneamente havia feito reservas em uma franquia que ficava em outro Estado! Após rirmos muito com a confusão, optamos por ir a outro restaurante, com pratos deliciosos e uma excelente atmosfera. Há anos que não nos divertíamos tanto! O plano B funcionou melhor!

Às vezes, não consigo encontrar os produtos que costumo usar e acabo experimentando outros que acabo gostando mais; também aconteceu de não conseguir vaga num dos meus hotéis preferidos e acabar indo para outro, que no final das contas o superou e me fez ter lembranças maravilhosas!

Uma vez meu marido e eu planejamos uma viagem inteira em torno de uma visita a um Parque Nacional, mas assim que chegamos por lá descobrimos que havia sido fechado! A experiência acabou sendo surpreendentemente divertida e proveitosa, quando assumimos que seria preciso reinventar o roteiro e aproveitar a viagem de uma forma diferente.

Em vez de mergulhar na decepção, tristeza, medo e até mesmo raiva quando seus planos não derem certo, seja curioso, aventureiro e espontâneo e aceite o Plano B!

Pode ser a melhor coisa que você já fez!

RECOMENDAMOS


COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!