Sem apego, sem abandono: Por que muitas pessoas não querem se envolver afetivamente?

Existem feridas emocionais que carregamos desde a infância, e quando chegamos a fase adulta, elas ficam mais evidentes. Um exemplo disso é o medo do abandono. Homens e mulheres sofrem diariamente com a sensação de que serão abandonados por aqueles que eles mais amam.

Segundo a psicóloga Tânia Aosani, as pessoas que sofrem o medo do abandono costumam pensar:

“Não vou me aproximar o suficiente dessa pessoa, sem apego, sem abandono”.

“E se perceberem que estou falhando?”

“Preciso que gostem de mim o suficiente para me quererem sempre por perto”.

“Estas críticas arrasaram com meu emocional”.

“Estou chateada(o) comigo mesma(o), deveria ter dado o meu melhor”.

“Estou me sentindo inadequado, parece que não agrado às pessoas”.

“Melhor eu terminar antes com essa pessoa, do que ela terminar comigo”.

Segundo Tânia, qualquer pessoa pode desenvolver um medo de abandono. “Pode estar profundamente enraizado em uma experiência traumática que você teve quando criança ou em um relacionamento angustiante na idade adulta”, explicou.

Quem tem medo do abandono, não consegue manter relacionamentos saudáveis por muito tempo. A pessoa tem uma tendÊncia a se isolar para evitar se machucar.

Nesse contexto, ela passa a sabotar suas relações para não ter que lidar com a frustração de ser abandonado.

O medo é uma emoção que quando alimentada de maneira constante e inconsciente, nos deixa vulnerável. Pessoas com medo do abandono criam problemas de confiança e se preocupam excessivamente com o seu relacionamento. Isso pode criar situações de ciúmes e desconfiança, iniciando um ciclo perigoso.

O primeiro passo para superar seu medo é reconhecer por que você se sente assim.

Você pode tentar uma autoanálise e ou, buscar uma ajuda terapeutica, o fato é que você não pode tratar algo que desconhece. Portanto, reconheça a sua limitação e se abra para viver relacões saudáveis.

Se relacionar faz parte do crescimento, e não se relacionar, nos leva a estados de melancolia e desânimo. Para vencer ess emedo você precisa valorizar a si mesmo, e identificar os seus pontos fortes. Você é um bom amigo, uma boa pessoa, um bom profissional… Isso tudo te empodera e te faz perceber que, mesmo que um relacionamento não dê certo, você nunca se sentirá abandonado, porque você sabe quem você é e sabe que é uma boa pessoa.

*DA REDAÇÃO HP. Foto de Khashayar Kouchpeydeh no Unsplash.


VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA?

O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS






Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!