Síndrome da raiva hwa-byung: Quando a pessoa reprime, continuamente, as suas emoções

A comunidade psicológica acredita que a síndrome da raiva hwa-byung é o resultado da repressão contínua das emoções. Não podemos esquecer que estamos em um país onde a saúde mental ainda é um estigma.

Essa síndrome está ligada à cultura coreana. Define um transtorno de somatização que aparece quando as pessoas não sabem ou não conseguem lidar com os estados de raiva causados ​​pela injustiça.

A síndrome da raiva hwa-byung ou o custo de reprimir emoções

Essa condição psicológica é frequentemente definida como um distúrbio associado exclusivamente à cultura coreana. No entanto, a síndrome da raiva hwa-byung ou a somatização das injustiças é uma realidade clínica que qualquer pessoa pode sofrer. O ato de suprimir as emoções de forma sustentada ao longo do tempo tem um custo para a saúde física e mental.

Ora, não podemos negar que o hwabyung , conforme definido na literatura científica, desperta grande interesse geral. Para começar, o mundo ocidental reconhece essa síndrome e a vincula a uma forma de depressão . De fato, no Manual Diagnóstico e Estatístico de Transtornos Mentais ( DSM-5 ) é listado como um transtorno ligado à cultura.

Assim, se a Coreia o descreveu como um transtorno psicológico com entidade própria, foi devido a um fato muito básico. Por quase duas décadas, aumentaram os casos de pessoas que apresentam uma série de problemas mentais muito específicos ligados à emoção da raiva. Eles até têm suas próprias palavras que descrevem esse sentimento.

Eok-ul (‘抑鬱’, ‘sentimento de injustiça’) e raiva (‘憤’, ‘erupção de raiva’). Além disso, sintomas físicos e certos problemas de saúde, como problemas digestivos, sensação de calor e taquicardia, são adicionados aos sintomas psicológicos. Este é um fenômeno curioso que vale a pena investigar.

definição, sintomas e causas

Ao falar sobre a Coréia, várias imagens vêm à mente. Pois embora essa síndrome tenha sido investigada na Coreia do Sul, intui-se que ela também esteja presente na Coreia do Norte. Para começar, naquele país do K-pop ou naquele cinema emergente que triunfa no mundo, mais estrelas e figuras públicas tiram suas vidas a cada ano. Também anônimo.

Na Coreia do Sul, os problemas de saúde mental são um estigma. Ninguém fala sobre suas emoções, seus problemas ou suas ansiedades. Governa a eficiência e a alta auto- exigência.

Atualmente, este país é uma das dez economias mais poderosas do mundo, domina muitos setores e seu padrão de vida melhorou muito nas últimas décadas. Embora sim, caso alguém fale sobre seus problemas psicológicos, eles serão considerados fracos.

A síndrome da raiva hwa-byung surgiu paralelamente ao desenvolvimento deste país como potência mundial. No início do século XXI, começaram a ser descritos casos clínicos de pessoas que apresentavam o mesmo padrão de problemas mentais e físicos. Foi em 2010, quando o departamento de psiquiatria do Hospital Metropolitano Eunpyeong, em Seul, analisou cuidadosamente essa condição em um estudo.

O que é e como se manifesta?

A síndrome da raiva Hwa-byung é um transtorno mental que aparece quando as pessoas não conseguem ou não sabem como gerenciar suas emoções, negativas que, foram resultado de condições, que elas percebem como injustas.

Em geral, os sintomas que eles mostram são os seguintes:

sintomas psicológicos

– Sentimento de raiva e frustração constante.

– Irritabilidade e mau humor.

– Sentimentos de tristeza e desesperança.

– Sentimentos de culpa por não saber ou poder agir sobre o que os incomoda ou preocupa.

– Sentindo que eles não têm controle sobre suas vidas.

– Hipervigilância, sentindo que algo ruim vai acontecer com eles.

– Nervosismo.

– Vontade de chorar.

sintomas físicos

– Dificuldade em dormir.

– Distúrbios digestivos.

– Sensação de calor e agitação.

– Exaustão.

– Dor muscular.

– dores de cabeça

– tontura

– Pressão torácica.

– Problemas respiratórios.

– Boca seca.

– Falta de fome ou necessidade de comer demais.

Qual é a causa da síndrome da raiva hwa-byung?

A realidade psicossocial por trás da síndrome da raiva hwa-byung é muito complexa.

Como apontamos, está intimamente ligado à própria cultura da Coreia do Sul (na ausência de dados da Coreia do Norte). Do Ocidente, essa gama de sintomas pode ser focada em um transtorno de humor, um transtorno depressivo, ansiedade, etc.

Vamos ver quais são as dinâmicas que podem estar por trás dessa síndrome:

– Excesso de trabalho e acadêmico.

– Estressores familiares (o tradicional continua colidindo com a modernidade)

– Viver em um ambiente social onde o indivíduo sente que seus próprios valores éticos e morais conflitam com o que o cerca.

A síndrome da raiva Hwa-byung é muito comum entre mulheres de meia-idade de baixo nível socioeconômico.

Como essa condição psicológica é tratada?

A Duke University desenvolveu uma escala para avaliar e detectar a síndrome da raiva hwa-byung . Assim, neste estudo foi analisada a eficácia do MMPI-2, visando avaliar quatro domínios: estado geral de saúde, sintomas gastrointestinais, desesperança e raiva.

Pois bem, a verdade é que a forma de lidar com boa parte dos transtornos mentais no Oriente está longe das técnicas utilizadas no Ocidente.

Nem todo mundo recorre à terapia psicológica, a abordagens destinadas a tratar cientificamente a depressão ou a ansiedade.

Na Coreia continuam a inclinar-se, por vezes, para métodos tradicionais como a acupuntura, muito comuns para apaziguar emoções como a raiva.

É necessário, portanto, que essas novas potências mundiais incluam também um avanço semelhante na saúde mental.

Conceber a desesperança, a depressão, a ansiedade e o estresse como símbolo de fraqueza invalida o progresso real de qualquer sociedade.

É tempo de dar um espaço necessário a esta questão para o bem-estar dos seus cidadãos.

*DA REDAÇÃO HP. Com informações LLM.


VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA?

O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS






Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!