Todo mundo é valente até alguém chamar a sua mãe…

Para ilustrar esse texto icônico, peço a gentileza que assistam esse vídeo a baixo. Para bons entendedores, um pequeno vídeo é melhor que um texto gigante.

O artigo continua após o vídeo:

É, nessa vida existem dois tipos de homens: aqueles que sabem o quanto a obediência é fundamental para a sobrevivência, e aqueles que querem mostrar valentia o tempo todo.

Mas em ambos os casos, basta uma simples palavra para que a mansidão dê as caras, e essa palavra, na maioria das vezes vem em som de grito: “Mãaaaaaeeeeeeee vem ver o que o “fulano” fez”. Nesse caso, o “fulano” é a gente mesmo. Não tem escapatória.

Quem nunca brigou com o irmão em casa, ou armou uma arruaça sem tamanho na escola, ou fez uma pilantragem ou outra na vida, e assim que disseram “Vou chamar a sua mãe”, abaixou a cabeça e saiu com o “rabinho entre as pernas”, procurando um cantinho para se esconder, tentando mostrar que estava quieto o tempo todo, e que no fundo, é um ser manso e pacífico?

Pois é, a vida é cheia dessas coisas, e se não fosse o medo da mãe, muitos de nós já teriam se complicado muito, mais muito mesmo.

Ser valente é um pré-requisito para os homens, e somos ensinados assim, desde crianças. Mas puxando na memória, bastava um olhar nervoso da nossa mãe para que aquela valentia toda desaparecesse, fato que demonstrava o nosso disfarce de homem durão.

Muitos homens, mesmo adultos, continuam tendo o mesmo medo da mãe.

Isso prova que:

Aquela valentia toda era só uma vontade de demonstrar poder, de provar a nossa força, e de nos autoafirmar na vida.

Quem teve uma mãe presente sabe que não existe a possibilidade de aumentar a voz para ela. Que se decidirmos impor nossas vontades, o tiro sairá sempre pela culatra.

Melhor mesmo é fingir que somos um “corderinho” na frente dela.

Mas é só ela sair de perto, que a gente mostra a nossa face verdadeira!

Aquela que grita dentro de nós:

“Seja valente!”

“Mostre ao mundo o quanto você é corajoso!”

“Enfrente quem for, se esse alguém estiver atrapalhando que você conquiste os seus objetivos”.

Mas é claro que vez ou outra, as coisas não saem como a gente planejou, e se aqueles que conhecem “esse nosso ponto fraco”, descobrem as nossas tentativas de valentia, eles simplesmente gritam: Mãaaaaaaeeeeee!

E olha nós lá outra vez, tendo que vestir o disfarce de “santinhos”.

É, a vida de um homem filhinho da mamãe não é tão simples como parece!

Mas é melhor ter medo dela, do que do mundo, não acham?

*Texto escrito por Iara Fonseca – Instagram: @escritoraiarafonseca – visitem também o Facebook da autora.
*Imagem:: Getty


VOCÊ CONHECE O INSTAGRAM E O FACEBOOK DO HOMEM NA PRÁTICA? O UNIVERSO MASCULINO EM UM SÓ LUGAR.

RECOMENDAMOS



COMENTÁRIOS




Homem na Prática
Queremos falar de forma descontraída sobre o universo masculino sem qualquer estereótipo. Prazeres, Família, Trabalho, Finanças, Futuro e Gastronomia. Papo aberto, franco e direto!